HOME | GERAL | ESPORTES | POLÍTICA | CIDADES | SAÚDE | POLICIAL | INTERNACIONAL | FOTOS | VÍDEOS | TORPEDOS

 

...

04/07/2017
Hervázio analisa possíveis cenários para 2018, critica Cartaxo e diz que RC pode repensar decisão sobre Senado


Hervázio analisa possíveis cenários para 2018, critica Cartaxo e diz que RC pode repensar decisão sobre Senado

O deputado estadual e líder do Governo na Assembleia Legislativa, Hervázio Bezerra (PSB) analisou a conjuntura política visando o cenário para 2018. Em entrevista a Band News, o parlamentar enalteceu o governador Ricardo Coutinho (PSB) que apesar de afirmar que seguirá no cargo até 31 de dezembro de 2018, pode abrir mão dessa decisão caso seja necessário para o bem da coletividade e criticou o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD) e seu irmão Lucélio Cartaxo (PSD).


Para Hervázio, Ricardo deu um choque de gestão e acredita que ele não blefou ao abrir mão de disputar o Senado, por um bem maior.


"A forma de fazer política de Ricardo é totalmente diferenciada. Ele modificou a prática e relação política com o Governo. Antes existia cotas, gratificações e nomeações de apadrinhados e atualemente isso não existe. Ele cortou benefícios individuais por causas e ações coletivas como estradas para os paraibanos. Foi um choque de gestão. No entanto, dificilmente Ricardo blefaria, se ele disse que vai ficar nós vamos aceitar. Ele revelou que quer terminar as obras e entregá-las ao povo. A oposição não admite, mas garante que o governador fez as benfeitorias. Infelizmente o povo merece mais, os servidores merecem aumento, mas diante das dificuldades, manter as obras sendo executadas e os salários em dia já é uma grande vitória. Outros perguntam: que milagre é esse? e eu respondo: É a responsabilidade de fazer o bem coletivo e não individual", destacou.


Hervázio detonou Cartaxo, disse que ele foi fraco na palavra e destacou estratégias do prefeito para se esquivar de escândalos e buscar apoios embaixo de uma cortina de fumaça. Onde seu irmão, Lucélio não pode ser usado para ser o candidato ao Governo pela sigla por falta de experiência política.


"É cedo falar de 2018 porque muita água vai correr por debaixo desta ponte. Antes o nome mais forte para enfrentar o projeto do Governador Ricardo Coutinho era o do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), mas depois dos escândalos no seu partido, até no São João de Campina ele não apareceu, foi alvo de protesto em aeroportos. Cartaxo está no mesmo barco. Primeiro foram as insatisfações dentro da sua bancada na Câmara, ai depois de dar um cala boca, nomeando auxiliares, mudaram de postura. Depois o Caso da Lagoa que está sendo alvo de investigações em vários órgãos foi abafado com a ausência dele na mídia e também as visitas ao interior e visitando prefeitos de partidos aliados por todo o Estado. Ele partiu sozinho e está enfrentando de peito aberto a pré-campanha para abafar o caso. No entanto não acho que ele vai sair da prefeitura e nem vai lançar o irmão Lucélio como candidato. Ele não tem experiência política. Se tivesse 10 fichas, apostaria seis de que ele não vai ser candidato. Política não tem empate e nós jogamos para ganhar de corpo e alma e ajudamos Cartaxo num primeiro momento, mas agora, eu não seria a favor de uma aliança PSD e PSB. Cartaxo foi fraco com o cumprimento de sua palavra e no resgate de compromissos que ele assume. Todos ficam no segundo plano e ele no primeiro, ele não atende ao coletivo", detonou Hervázio. 



Redação






 
 
 



 

 

 

 

www.jornaldeverdade.com.br

  Jornalistas do Programa: Juarez Amaral
Paulo Roberto
Polion Araújo
Carlos Magno

Programa diário na Rádio Cidade Esperança - 1310 AM
Contatos pelo telefone: (83) 3349-2013 / (83) 3341-4999