HOME | GERAL | ESPORTES | POLÍTICA | CIDADES | SAÚDE | POLICIAL | INTERNACIONAL | FOTOS | VÍDEOS | TORPEDOS

 

...

12/06/2017
Dia dos Namorados: Casais paraibanos defendem a importância da convivência para o fortalecimento do amor


Dia dos Namorados: Casais paraibanos defendem a importância da convivência para o fortalecimento do amor

 Seja pelas redes sociais, a distância, por aquele amigo que se arrisca em ser cupido, numa troca de olhares, ou em um momento embaraçoso com aquela pessoa que se gosta. Independentemente de como cada história começa, no Dia dos Namorados o principal homenageado pelos casais é o amor. Personagem esse que não se importa com cor, raça, sexualidade, idade, religião, mas se fortalece com o tempo, quando bem cuidado por ambas as partes. Na data, dia 12 de junho, é tradição a troca de presentes e cartões, e apesar de alguns apaixonados gostarem de sair, fazer surpresas, outros preferem simplesmente a companhia do parceiro no aconchego da casa.

Tudo começou por causa do publicitário João Dória, para que o Dia dos Namorados fosse celebrado em 12 de junho no Brasil. Na época, João visava aumentar as expectativas de venda, que estavam fracas no ano de 1949. Ele apresentou aos comerciantes formas de aquecer o comércio, que no mês de junho eram mais favoráveis.

Mas, não foi só por interesses financeiros que essa data é diferente dos outros países, que comemoram em 14 de fevereiro. Em 12 de junho, também é a véspera do Dia de Santo Antônio, conhecido pelos brasileiros como o santo casamenteiro em função de suas pregações sobre o amor, que se comemora no dia 13 de junho. Em outros países, o Dia dos Namorados é intitulado como “Valentine’s Day”, que significa “Dia de Valentim”. Valentim era um bispo que celebrava casamentos escondidos de jovens cristãos perseguidos na Idade Média, e por isso foi o propulsor para que a data comemorativa nesses lugares fosse em 14 de fevereiro, data de sua morte.

Foi por meio de amigos em comum da igreja, que a estudante de engenharia ambiental da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Eduarda Suassuna Santos e o educador físico Félix Scariano Pereira se conheceram. Eduarda comentou que muitos amigos falavam bem de Félix e como eles poderiam dar certo, e que aos poucos esses comentários foram fazendo com que ela quisesse se aproximar dele. Ao adicioná-lo no aplicativo do Snap, eles começaram a conversar, no primeiro momento apenas como amigos, mas depois de Félix pedir o número do telefone para facilitar o contato pelo Whatsapp o relacionamento foi se aprofundando.

Terapeuta explica As mudanças nos relacionamentos variam de região para região, mas atualmente as relações estão durando menos, e isso se deve ao fato da mulher estar mais independente e pelas pessoas procurarem uma relação ideal, de acordo com a terapeuta Fabiana Esteca.

A terapeuta explicou que é importante ter cumplicidade e sinceridade, pois as mentiras vão fazendo com que eles percam a confiança e a falta de cumplicidade prejudica também a relação, pois os distancia. Outro fato imprescindível, é que o casal deve sempre lembrar o motivo que os uniu, pois ao longo da relação deve-se preservar essa questão inicial. “Se rola uma decepção nessa primeira característica que atraiu na relação, se desfaz com o tempo, acaba quebrando o vínculo, e aí o que sobra é muito fraco para manter, por isso deve-se cuidar disso, pois é o lugar sagrado da relação”, aconselhou.

Redação 






 
 
 



 

 

 

 

www.jornaldeverdade.com.br

  Jornalistas do Programa: Juarez Amaral
Paulo Roberto
Polion Araújo
Carlos Magno

Programa diário na Rádio Cidade Esperança - 1310 AM
Contatos pelo telefone: (83) 3349-2013 / (83) 3341-4999