HOME | GERAL | ESPORTES | POLÍTICA | CIDADES | SAÚDE | POLICIAL | INTERNACIONAL | FOTOS | VÍDEOS | TORPEDOS

 

...

13/05/2017
Dia “D” de Vacinação contra gripe será neste sábado

 Dia “D” de Vacinação contra gripe será neste sábado

A Secretaria de Estado da Saúde (Ses) promove o Dia “D” da Campanha de Vacinação contra a gripe, neste sábado (13). A abertura será às 8h, no município de Rio Tinto, na Praça Municipal, com as presenças da secretária de Estado da Saúde, Claudia Veras; técnicos da SES; gestores e funcionários da Secretaria de Saúde do Município de Rio Tinto. O evento ocorrerá em todo país e tem como objetivo mobilizar a população que está no grupo prioritário para a Campanha de Vacinação contra a gripe.

Na Paraíba, a meta neste ano é vacinar pelo menos 90% do público-alvo, o que corresponde a 924 mil e 549 pessoas. Até o momento, já foram vacinadas 268 mil e 202 pessoas, o que corresponde a 30,59% do público-alvo.

O Estado recebeu 971 mil doses da vacina, que foram encaminhadas aos municípios. A expectativa da Secretaria de Estado da Saúde é de que todos os esforços sejam feitos pelos municípios para que a meta seja alcançada o quanto antes e, dessa forma, sejam minimizadas as complicações decorrentes da gripe. “Nossa orientação é para que os gestores dos municípios intensifiquem as atividades de vacinação e, sobretudo, alimentem o site da campanha. Na prática, muitos municípios estão com cobertura vacinal mais alta, porém não podemos ter acesso aos números reais sem a alimentação real dos dados”, explicou a técnica do Núcleo de Imunização da SES, Márcia Mayara.

Márcia alerta, ainda, sobre a importância do público-alvo buscar os serviços de saúde para imunizar-se durante o período da campanha, uma vez que muita gente deixa para a última hora. “A vacina é segura e tem como principal objetivo reduzir as complicações que levam às internações e mortalidades decorrentes do vírus da influenza (gripe)”, destacou.

A campanha começou no dia 17 de abril e vai até o dia 26 de maio. A vacina contra a gripe está disponível nos postos de vacinação para crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores, que são a novidade deste ano.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Prevenção – A transmissão dos vírus influenza ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

É importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o médico. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.



Redação






 
 
 



 

 

 

 

www.jornaldeverdade.com.br

  Jornalistas do Programa: Juarez Amaral
Paulo Roberto
Polion Araújo
Carlos Magno

Programa diário na Rádio Cidade Esperança - 1310 AM
Contatos pelo telefone: (83) 3349-2013 / (83) 3341-4999