HOME | GERAL | ESPORTES | POLÍTICA | CIDADES | SAÚDE | POLICIAL | INTERNACIONAL | FOTOS | VÍDEOS | TORPEDOS

 

...

15/01/2017
Para Miná, prêmio ameniza injustiça do UFC



O lutador paraibano Alberto Miná, de 34 anos, está liderando enquete promovida pelo SporTV que vai definir o melhor nocaute de 2016 no UFC. O lutador, que pertence a categoria meio-médio, está com 41,51% dos votos até o momento. A vantagem é tão grande que o segundo colocado, o cubano Yoel Romero, tem apenas 21,75%. Miná, inclusive, acredita que a vitória repararia de forma simbólica a injustiça que a organização teria cometido contra ele no UFC 200.

Na ocasião, o brasileiro venceu o norte-americano Mike Pyle, em luta realizada em julho. Naquela ocasião, a organização divulgou o resultado da Performance da Noite indicando o paraibano como o melhor. Porém, o prêmio mudou de mãos de maneira mal explicada e terminou com outro brasileiro, Pedro Munhoz, da categoria peso-galo.

Miná nunca engoliu aquela mudança:

- Esta indicação de "nocaute do ano" coroa o meu 2016, que foi muito proveitoso. Mas pra mim tem um sentido mais de justiça. No UFC 200, a minha luta foi o único nocaute da noite e o UFC sempre paga um bônus de 50 mil dólares à melhor da noite. Devido a esta circunstância, a minha luta foi indicada por outros órgãos dos Estados Unidos como o melhor momento do evento. O UFC chegou a divulgar o meu nome como vencedor, mas de última hora houve uma alteração e outro lutador foi premiado. Uma lambança - afirmou Alberto Miná.

Satisfeito com a grande vitória e a provável premiação extra na época, Miná relembrou o momento da frustração e afirmou que já havia planejado o que fazer com os 50 mil dólares.

Agora, já resignado, ele fala da indicação para a enquete do SporTV: - Eu estava muito satisfeito com a possibilidade de vencer o bônus do UFC. E já planejava utilizar o dinheiro em meu projeto social em Campina Grande (sua terra natal). Contudo, na hora da coletiva, o próprio UFC frustrou minhas expectativas. Mas agora poder disputar a eleição do SporTV e observar o reconhecimento do público é fantástico. Essa indicação tem um sabor de justiça para mim - revelou o paraibano.

Alberto Miná é faixa preta em Judô e em Jiu-Jitsu e encerra o ano com o segundo lugar do ranking nacional do peso meio-médio (até 77 kg) do UFC, atrás apenas de Demian Maia, que é o principal nome do Brasil na categoria. Na principal categoria do MMA mundial, Miná acumula três lutas e três vitórias. Apesar disso, o paraibano lutou apenas uma vez na temporada, justamente no UFC 200, contra Mike Pyle, uma luta que é considerada muito importante para a sua carreira.

Redação com G1






 
 
 



 

 

 

 

www.jornaldeverdade.com.br

  Jornalistas do Programa: Juarez Amaral
Paulo Roberto
Polion Araújo
Carlos Magno

Programa diário na Rádio Cidade Esperança - 1310 AM
Contatos pelo telefone: (83) 3349-2013 / (83) 3341-4999